El jefe político

Drama | Ficção | Live Music

El jefe político

La Réponse du Destin

André Hugon

70′ – França – 1925
Mudo com intertítulos em espanhol e legendagem eletrónica em português / BSO interpretada ao vivo

Estreia em Portugal da versão restaurada pela Filmoteca Espanhola e pelo Arxiu del So i la Imatge do Consell de Mallorca

INAUGURAÇÃO

26/11

19h00

→ Sala M. Félix Ribeiro

Leopoldo Quintana é um advogado e político capaz de tudo para conseguir o que deseja. Recorrendo a chantagem e manobras duvidosas, é nomeado deputado, depois ministro e, por fim, presidente do Conselho. A sua ambição desmedida acaba por provocar protestos sociais a favor de um horário de trabalho de oito horas que ele não quer aceitar. O conflito acabará por ditar a sua queda. Filme mudo francês realizado em 1925 pelo realizador André Hugon, e filmado na localidade maiorquina de Bunyola, Palma, Madrid e Paris. Restaurado pela Filmoteca Espanhola e pelo Arxiu del So i la Imatge do Consell de Mallorca, chega a Lisboa pela mão da Cinemateca Portuguesa, abrindo a secção Heritage do CineFiesta, e com uma banda sonora que Miquel Brunet, o seu compositor, interpretará ao vivo ao piano e teremim.

Miquel Brunet interpretará ao vivo a nova banda sonora do filme


André Hugon, realizador do 'El jefe político'

André Hugon

Realizador

André Hugon foi um prolífico cineasta francês. Realizou uma centena de filmes entre 1924 e 1952, entre eles Les trois masques (1929), considerado como o primeiro filme sonoro de origem gaulesa. Outros dos seus filmes, cujo fio condutor é o interesse pelo Mediterrâneo, foram: Rose de Granade, Fille de rien (ambas de 1921), La gitanilla (1923) e esta, La Réponse du destin (1926), estreada em Espanha como El jefe político.

A película foi produzida por Films André Hugon, produtora criada pelo próprio na década de 1920 e com a qual produzirá a maior parte das suas longas-metragens. Jean Bachelet e Alphonse Gibory foram os responsáveis pela direção de fotografia. Este último tinha desempenhado a mesma função em La gitanilla, sendo o seu derradeiro contributo para a cinematografia francesa em Madame Bovary (Jean Renoir, 1934). No elenco do filme, René Navarre desempenha o papel protagonista. O ator francês era famoso na época por ter interpretado Fantômas de Louis Feuillade entre 1913 e 1914 e Vidocq de Jean Kemm, em 1923.