El diario rojo

Cult Film | Drama urbano | Ficção

El diario rojo

The Red Diary

Juan Olaria

89′ – Espanha – 1982
Versão original em espanhol, legendado eletronicamente em português

27/11

21h30

Sala M. Félix Ribeiro

30/11

20h00

Sala Luís de Pina

Um casal com problemas de fertilidade recorre a uma consulta de especialidade. As análises confirmam que ela está bem, o que complica ainda mais a relação entre ambos. Após uma violação, ela fica grávida e oculta a verdade ao companheiro. Este drama urbano, gravado em 1982, surge como reação do realizador à sua obra anterior, El hombre perseguido por un OVNI. Recebido com críticas adversas na altura, o filme foi desterrado durante quase quarenta anos, estreando-se finalmente em maio de 2019, quando o cineasta alugou uma sala de Barcelona para o exibir ao público. Meses depois, a Filmoteca Espanhola recuperou-o para uma sessão do seu ciclo «Sala: B» e finalmente digitalizou-o. Agora, o CineFiesta Heritage apresenta-o ao público lisboeta em parceria com a Cinemateca Portuguesa, constituindo uma oportunidade única para descobrir um filme que se converteu numa obra de culto do cinema espanhol dos anos 80.


Juan Carlos Olaria realizador do 'El diario rojo'

Juan Olaria

Realizador

Juan Carlos Olaria é um realizador extraordinariamente particular, com uma cinematografia breve. Artesão dos ofícios do cinema, nas suas produções a sua figura acumula quase a totalidade das lidas próprias da indústria, com exceção das interpretativas, muito embora se tenha posto amiúde à frente da câmara para papéis secundários ou para a totalidade dos papéis, como no caso da sua primeira curta, realizada quando tinha quatorze anos e na qual dava vida às três personagens que apareciam na história.

A sua primeira longa-metragem, El hombre perseguido por un OVNI (1976), oscilava entre a série B e a pornochanchada, portagem que teve de pagar por sugestão de Juan Xiol — guionista da fita — para garantir um lugar no mercado espanhol da época.